Adeus palhinhas de plástico

As palhinhas não são recicláveis, são feitas de polietileno de baixa densidade (LDPE) e não temos tecnologia que as recicle em Portugal. Como são leves, acabam facilmente por chegar ao mar. No oceano, a palhinha não é biodegradável – fragmenta-se em microplásticos, que os animais marinhos confundem por vezes com comida.

Em todo o mundo, são deitadas fora milhões de palhinhas de plástico todos os dias. Por isso, a União Europeia pretende proibir o uso de plástico em palhinhas, cotonetes, talheres e paus de balões – produtos que, no seu conjunto, representam cerca de 70% do lixo marinho europeu. Acreditamos que todos os dias podem ser dias sem palhinhas de plástico, e não apenas o dia internacional da palhinha (3 de fevereiro). Para combater a poluição nos oceanos, escolha a melhor alternativa e junte-se a iniciativas através das hashtags #palhinhazero e #strawfreeday.

Conheça aqui as 6 alternativas mais sustentáveis à palhinha de plástico descartável:

1. As palhinhas de papel são reutilizáveis, com designs originais e possibilidade de personalização.

2. As palhinhas de trigo são 100% biodegradáveis, mas pecam por não serem reutilizáveis.

3. As palhinhas de aço inoxidável são laváveis e duram muito tempo. São a melhor opção para festas e para uma utilização diária.

4. As palhinhas de bambu são uma alternativa saudável e ecológica, feitas a partir de uma das plantas mais sustentáveis do planeta.

5. As palhinhas feitas à base de algas são comestíveis, coloridas e 100% biodegradáveis. Ótimas para vegetarianos.

6. As palhinhas comestíveis são aromatizadas e 100% biodegradáveis. Uma excelente alternativa para festas de crianças, que acabam a comê-las no final.