Descomplicar para ser mais feliz

Numa sociedade de consumo, queremos sempre mais e melhor. Aprender a reduzir é também aprender a descomplicar.

Dizem que ser feliz é uma arte. Mas a verdade é que a ciência nos mostra que, para sermos mais felizes, devemos simplificar a nossa vida. Para isso, é importante aprendermos mais sobre nós mesmos para compreendermos o que, de facto, é importante para nós.

Já alguma vez parou para pensar naquilo que verdadeiramente deseja? Muitas vezes sentimos que vivemos numa constante busca, mas nem sempre sabemos do que estamos à procura. Parar para refletir, para examinar a nossa vida e definir objetivos é uma prática útil e saudável.

Reflita, imagine o que se enquadra na sua vida e experimente. O pior que lhe pode acontecer é ser um pouco mais feliz.

Abra alas

Estar rodeado de objetos, de tralha, faz-nos sentir apertados, sem margem de manobra. Quando esta sensação toma conta de nós, é bom olharmos em volta e percebermos onde podemos “cortar”. Arrumar a nossa casa para arrumar a nossa vida. Uma casa mais livre tem mais espaço para o que realmente importa: as pessoas e as suas relações.

Menos é mais

Quem nunca se questionou por que razão comprou mais um objeto? O hábito das compras está enraizado em muitos de nós e funciona quase como um bálsamo para os dias mais parados ou até difíceis. No entanto, é um remédio de curta duração. Poucas são as coisas que nos fazem sentir realmente melhor, e a ciência vai demonstrando que aquilo que, de facto, nos preenche são as relações humanas e as experiências.

Aprenda a dizer que não

Muitas vezes enchemos o nosso tempo com atividades nas quais não temos qualquer interesse. Mais, chegamos a aceitar demasiadas tarefas e compromissos apenas por medo de dizer “não”. No entanto, dizer “não” é essencial no caminho para distinguir entre o que é realmente relevante na sua vida e o que não é.

Verifique a sua agenda e “limpe-a” de tudo o que não é urgente ou importante, e desfrute de mais algum tempo para si e para os seus.