Sabe ler os rótulos dos alimentos?

Estudos recentes mostram que cerca de 40% dos portugueses não conseguem descodificar a informação nutricional básica. A existência de vários sistemas de rotulagem dificulta a comparação e a sua leitura imediata. Mas não se preocupe, nós ajudamos. Com as dicas #MYPLANET, a leitura dos rótulos fica mais fácil.

Cada vez mais fazemos as compras do dia-a-dia à pressa e acabamos por comprar aquilo que está em destaque na prateleira, sem olhar para a qualidade nutricional dos alimentos. Neste sentido, é essencial saber como ler os rótulos, de forma rápida e simples, no sentido de conseguir fazer as escolhas mais saudáveis e conscientes, sem pressa. Não olhe apenas para as calorias nem avalie os produtos só pelo design apelativo da embalagem. Por vezes as frases chamativas — como “produto sem glúten”, “biológico” ou “sem lactose” — não refletem com exatidão a realidade sobre o produto que vai levar para casa. Além de verificar se está dentro do período de validade, ler o rótulo é decisivo para verificarmos a qualidade do que levamos para o prato, primeiro através da leitura dos ingredientes e, em seguida, na leitura da informação nutricional.

Saudamos a iniciativa da Direção Geral de Saúde, no âmbito do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável, que disponibiliza um cartão de rápida e fácil consulta, para descodificar os rótulos na hora de ir às compras. Muito útil para perceber através do sistema de cores dos semáforos – verde, amarelo e vermelho – se os valores de gordura, gordura saturada, açúcares e sal estão dentro do recomendado.

Em jeito de dica, partilhamos também a informação que não vem nos rótulos. É importante estar atento ao sal e aos açúcares e comer mais alimentos ricos em fibra. Recordamos que, de acordo com a Organização Mundial de Saúde, os limites diários de açúcar para um adulto são de 50 gramas (cerca de 12 colheres de café de açúcar) e o máximo de sal diário são 5 gramas. Não se esqueça que, além do sal que adiciona à comida, deve também contabilizar o sódio dos próprios alimentos — por exemplo, por cada 100 gramas, o leite tem 50 miligramas de sódio, os ovos 80 mg e o pão 250 mg.

Aos poucos, as prateleiras dos supermercados estão a mudar com a informação nutricional presente na frente da embalagem, em reflexo da maior preocupação dos cidadãos em comer melhor, sem excessos. Com a nova legislação, a declaração nutricional está sempre presente no rótulo, por isso não deixe de a consultar antes de colocar no cesto do supermercado as suas bolachas favoritas ou o iogurte habitual.