Ouvir a Natureza, ho, ho, ho

Se o Natal é uma época de paz e harmonia, porque é que todos os anos tocam as mesmas músicas de sempre, até à exaustão? Todos sabemos de cor o refrão de “All I Want for Christmas Is You”, os primeiros acordes de “Last Christmas” e o “Merry Christmas” persegue-nos desde o carro até ao elevador do trabalho.

Mas será que essa é a música que queremos ouvir, numa época que nos diz tanto?

Para fugir ao “vira-o-disco-e-toca-o-mesmo”, encontre refúgio perto da natureza. Experimente parar para ouvir a verdadeira música de Natal e renda-se por minutos aos sons da infância e ecos da sua memória.

Há quanto tempo já não repara nos pequenos sons que o rodeiam, como a chuva a bater na janela enquanto embrulha os últimos presentes? O som do vento congelante que sopra lá fora e cria o apetite para comer os bolos acabadinhos de fazer? O barulho da azáfama da cozinha, marcado pelo empilhar dos pratos, o tilintar dos talheres e o bater de tachos? O crepitar da lenha que conforta os sentidos enquanto espera que a família toda se reúna? O ritmo do relógio de corda que teima em não marcar as badaladas para abrir as muitas surpresas do Pai Natal?

Perca uns minutos a cartografar os sons que compõem a discografia pessoal do seu quotidiano na época natalícia. Numa tentativa de recuperar um tempo perdido, escute o mundo ao seu redor. Volte a procurar pinhas, a ouvir o deambular das árvores pelo caminho e a escutar o som dos sinos da sua terra natal. Num passeio sonoro, revisite o passado como presente.

Relaxe, é Natal.