A simplicidade da palavra “biodiversidade” é enganadora. De certa forma, ela representa a base de toda a vida no Planeta, mas, trocado por miúdos, o que é que isso significa?

A biosfera* do planeta Terra consiste numa estrutura funcional de diversos ecossistemas, que inclui parcerias bastante complexas entre organismos com informações genéticas individuais. A biodiversidade abrange a diversidade de vida em todos esses níveis: diversidade dentro das espécies (nível genético), entre espécies (nível de diversidade de espécies) e a variabilidade de habitats (nível dos ecossistemas).

Na área da proteção da natureza, e na linguagem comum de um público mais alargado, a biodiversidade é frequentemente resumida a “diversidade de espécies”.  Mas essa simplificação é redutora.

A biodiversidade é difícil de definir e de explorar, devido à complexidade intrínseca da sua abordagem holística e que cobre toda a vida na Terra. Simplificando, uma coisa é certa: a diversidade biológica está seriamente ameaçada em todo o mundo, a todos os níveis. Inúmeros fatores, como mudanças no uso da terra e destruição de habitats, colocam em perigo ecossistemas inteiros (como as florestas tropicais ou os recifes de coral) e inúmeras espécies (como o panda gigante ou o leopardo das neves). Para trabalhar contra esta tendência, foi decidido, na Conferência das Nações Unidas Sobre O Meio Ambiente e o Desenvolvimento (UNCED, também conhecida por “Cimeira da Terra” e “Eco-92”), que se realizou em 1992, no Rio de Janeiro, criar uma “Convenção Sobre a Diversidade Biológica” (CDB), que Portugal ratificou em 1994.

Origem recente
O termo “biodiversidade” é recente. Foi cunhado nos EUA, durante o “National Forum on Biodiversity” (“Fórum Nacional Sobre Biodiversidade”), que teve lugar em setembro de 1986, sob a égide da National Academy of Science e do Smithsonian Institute, em Washington. O termo deriva de “diversidade biológica”.

A palavra biodiversidade tem origem na palavra grega BIOS = VIDA e na palavra latina DIVERSITAS = VARIEDADE ou DIFERENÇA. Portanto, BIO DIVERSIDADE significa nada menos que VARIEDADE DE VIDA. O termo biodiversidade é suposto servir de palavra-chave para ligar realizações científicas imparciais e conceções de valores morais, com o objetivo de clarificar e esclarecer a diminuição da diversidade biológica como problema central para a humanidade.

Com o passar do tempo, o termo biodiversidade ganhou enorme popularidade e entrou significativamente no foco do interesse público. Durante a Cimeira da Terra de 1992, na qual 150 Estados assinaram a Convenção das Nações Unidas Sobre Diversidade Biológica, o termo “biodiversidade” ganhou também significado político.

Apesar da extinção das espécies constituir uma parte natural do processo de evolução, atualmente, devido às atividades humanas, as espécies e os ecossistemas estão mais ameaçados do que em qualquer outro período histórico. As estimativas mais recentes preveem que, às taxas atuais de desflorestação, 2 a 8% das espécies que vivem na Terra venham a desaparecer nos próximos 25 anos.

A espécie humana depende da diversidade biológica para a sua sobrevivência, dado que pelo menos 40% da economia mundial e 80% das necessidades dos povos dependem dos recursos biológicos. Além disso, quanto mais rica é a diversidade biológica, maior é a oportunidade para descobertas no âmbito da medicina, da alimentação, do desenvolvimento económico, e de encontrar respostas para as alterações ambientais.

*Biosfera é o conjunto de todos os ecossistemas da Terra. Diz respeito às regiões habitadas do planeta e inclui todos os organismos vivos e os seus habitats. É um conceito da Ecologia, relacionado com os conceitos de Litosfera (a parte sólida da Terra, formada a partir das rochas), Hidrosfera (o conjunto total de água do planeta) e Atmosfera (a camada de ar que envolve o planeta).