Estudos científicos comprovam que passar mais tempo ao ar livre ajuda a diminuir as hormonas ligadas ao stress e a aumentar a qualidade de vida.

A exigência constante do mundo atual e o ritmo frenético a que as coisas acontecem levam a processos de stress extremos. Este problema não afeta apenas as pessoas com cargos de elevada responsabilidade e tende a surgir nos primeiros 10 anos de carreira, altura em que a pressão para mostrar trabalho é, tendencialmente, superior. Sinais de cansaço, falta de energia permanente e ansiedade podem levar à quebra de produtividade e negativismo, num ciclo vicioso.

Uma solução natural

A boa notícia é que aliviar estes sintomas pode ser mais simples e económico do que aquilo que se pensaria à partida. Vários são os estudos científicos que apontam o resultado positivo de passar mais tempo em contacto com a natureza, especialmente na melhoria do bem-estar geral, e a “receita” parece aplicar-se também ao cansaço e stress extremos.

Os ambientes naturais são relaxantes e, quando passa mais tempo em locais bucólicos, os níveis de fadiga e stress diminuem, os estados de humor melhoram e as pessoas mostram-se mais alerta, relaxadas, felizes e em harmonia. Portanto, visitar espaços verdes e aumentar a exposição a ambientes naturais pode reduzir significativamente o stress psicológico e físico, diminuindo os níveis de cortisol, a hormona relacionada com o stress.

Se sente com regularidade algum dos sintomas acima descritos, consulte o seu médico de família para, em conjunto, encontrarem a melhor forma de tratamento. Entretanto, para sentir menos ansiedade e mais tranquilidade, pode experimentar passar 20 minutos do seu dia em contacto com a natureza, seja num bosque perto de casa ou apenas no parque municipal da cidade. Segundo apontam dados da Universidade do Michigan (EUA), essa atividade vai ter resultados positivos na melhoria da qualidade de vida.

O seu corpo agradece e o Planeta também.