Diminuir a pegada ecológica exige mudar alguns comportamentos, mas há hábitos fáceis de implementar e que fazem toda a diferença. As férias podem ser uma boa altura para reprogramar.

Este verão é atípico, com a pandemia a criar entraves à livre circulação e até à forma como socializamos. Mas o calor está aí, apetece passear e as férias têm de ser aproveitadas, em segurança. O momento é o ideal para ajudar o planeta a regenerar. Reciclar, consumir menos recursos e diminuir as emissões poluentes é uma opção de vida que não custa assim tanto a implementar. Pequenas mudanças de hábitos fazem uma grande diferença.

Evitar ligar o ar condicionado sem sucumbir ao calor
Pense nisto: o uso do ar condicionado está a deixar o mundo mais quente. A Agência Internacional de Energia estima que a energia consumida por este tipo de aparelhos deve triplicar até 2050 e, nessa altura, os ares condicionados espalhados pelo mundo estarão a usar toda a capacidade elétrica dos Estados Unidos, Europa e Japão, somados. O que podemos fazer? Sempre que possível, preferir ventoinhas a ar condicionado, mas, antes de tudo isso, apostar numa correta ventilação natural da casa. Manter as janelas e as persianas fechadas, ou os toldos abertos, quando o sol está a incidir nas janelas e abrir as janelas e as portas de casa durante a noite para o ar fresco circular. Livrar-se das lâmpadas incandescentes, que emitem calor e evitar usar o forno e o fogão. O melhor é mesmo, se possível, um churrasco no exterior…

Comer de forma mais sustentável sem gastar mais
As suas opções alimentares são mais do que uma escolha de saúde e bem-estar. Uma alimentação mais orgânica, com produtos sazonais, comprados nos mercados de agricultores locais também tem impactos positivos na sua pegada ecológica, visto que os produtos são cultivados de forma menos intensiva e não precisam de transporte de longo curso, o que evita custos ambientais. Além disso, evite o desperdício. Reaproveite as sobras das refeições e até os perecíveis mais maduros podem ser transformados em sumos ou gelados.

Separar o lixo, mesmo na praia ou nos piqueniques
Reciclar é fundamental a todos os níveis e segundo a Pordata, a percentagem nacional de resíduos reciclados em Portugal é de apenas 28,9%, contra os 47,4% da média da União Europeia. Por isso, mesmo na praia ou em passeio, não se esqueça de fazer a separação dos resíduos. Leve consigo sacos, recicláveis, onde pode guardar as embalagens até encontrar um ecoponto. Se fuma, utilize um cinzeiro portátil para as beatas. Lembre-se que estas não só não são recicláveis como contêm substâncias químicas nocivas. E, a cada minuto, sete mil beatas são deitadas para o chão em Portugal: cerca de 3,7 mil milhões todos os anos.

Passear muito e poluir menos
E por falar em poluição, não é preciso relembrar que caminhar, andar de bicicleta ou de transportes públicos é uma opção mais ecológica do que o uso individual do automóvel. Os transportes consomem um terço de toda a energia final na UE (que na sua maioria vem do petróleo), diz a Agência Europeia do Ambiente, e representam mais de um quarto das emissões totais de gases com efeito de estufa da EU, que contribuem para as alterações climáticas. Se tiver mesmo de ir de carro, partilhe a boleia.

Manter-se hidratado, mas sem desperdiçar recursos
Como quer que se desloque, é fundamental que se mantenha hidratado e também aqui pode fazê-lo de forma mais sustentável. É fácil perceber por que é tão importante optar por uma garrafa de água reutilizável: um estudo da Euromonitor International constatou, em 2017, que eram vendidas 1 milhão de garrafas de água por minuto e previu que esse número aumentaria 20% em 2021. São 583,3 mil milhões de garrafas por ano com potencial de ficar a poluir terra e mar durante séculos. Já agora, beba, mas não desperdice este recurso escasso. Mantenha os banhos curtos e use água menos quente, para também poupar eletricidade ou gás.

Presentear toda a gente sem consumismo
A última dica também tem como objetivo poupar os recursos do planeta e não só. Se é daquelas pessoas que gostam de comprar presentes para os entes queridos quando vai a algum lado, ou se lhe apetece apenas presentear os amigos e familiares que a pandemia manteve mais afastados, pense nas alternativas antes de comprar. O ambiente agradece se reutilizar. Pode comprar usado ou, simplesmente, criar lembranças com os materiais que encontra nos sítios por onde passa… sem destruir os habitats, claro!