Os koalas descansam e dormem quase todo o dia. Mas quando chega a hora da refeição, ficam bem atentos. E não há animal mais “gourmet”…

As grandes orelhas redondas, o nariz preto e o pelo felpudo dão ao koala a aparência de um simpático peluche. Mas este animal é bastante complexo, e um autêntico especialista no que toca às refeições: ingere apenas matéria vegetal de eucalipto, mas nem todas as espécies são ao seu gosto. Das mais de 700 espécies desta árvore existentes no mundo, apenas 5% servem a alimentação dos koalas.

Por dia, um koala adulto ingere 200 a 500 gramas de folhas de eucalipto, consoante a qualidade nutritiva das que tem à disposição, a época do ano, a idade, o tamanho e a condição fisiológica de cada animal.

“Os koalas não selecionam a qualidade da folhagem de cada árvore individualmente, mas sim de cada ramo em particular”, explica Eliana Lima na sua tese de mestrado “Seletividade Alimentar dos Koalas do Jardim Zoológico”, centrada na população do Jardim Zoológico em Lisboa. Quando se alimentam, os koalas avaliam cada ramagem, para decidir se a aceitam ou rejeitam. E é esta avaliação que os leva a mostrar preferência por espécies como os Eucalyptus botryoides, camaldulensis, globulus, macarthuri e ovata, e, em particular, pelos ramos provenientes do arboreto do Escaroupim.

“Tal como nas populações humanas, os hábitos alimentares dos koalas diferem entre países e regiões, sobretudo pelo tipo de alimentos a que têm acesso e por aquisição de hábitos ao longo das gerações. A palatabilidade das folhas, bem como as características de cada árvore, como a idade, são fatores decisivos”, explica fonte oficial do Jardim Zoológico.

Os koalas só conseguem fazer das folhas de eucalipto – extremamente fibrosas e pobres em nutrientes – a sua principal fonte de alimento graças a um conjunto de adaptações ao nível do metabolismo e da própria fisiologia.

“Os koalas têm de gerir os gastos energéticos para tirarem o maior proveito do que ingerem. Assim, são animais com atividade sobretudo noturna, e que passam cerca de 18h a 20h a dormir ou a descansar, quase imóveis”, explica o Jardim Zoológico.

Além disso, estão “equipados” com um sistema digestivo especializado. “Possuem dentes adaptados a agarrar as folhas e outros a mastigá-las ao máximo, de forma a facilitar o início da extração de nutrientes. No intestino, têm uma estrutura onde ocorre a degradação e digestão da fibra – o ceco – muito longa (cerca de dois metros) e larga, permitindo que o alimento ali permaneça durante bastante tempo, a sofrer a ação de milhões de bactérias que quebram a fibra e a transformam, tornando-a mais fácil de absorver”, revela o Jardim Zoológico.

Os koalas desenvolveram características e comportamentos que lhes permitem sobreviver a partir de uma alimentação exclusiva de folhas de eucalipto.

Fotografias ©CarlosNunes