Uma árvore todas as sextas-feiras é uma das iniciativas do movimento #NaoEstouSozinhoEmCasa que tem tido um feedback muito positivo da comunidade #MYPLANET.

De forma simples e clara, a engenheira florestal Sofia Mateus de Almeida apresenta algumas das famílias de árvores de Portugal. Nenhum dos vídeos pretende ser exaustivo ou técnico, mas sim um despertar da curiosidade para a beleza e importância das árvores na nossa vida.

Descubra por si e envie-nos os seus comentários pelas redes sociais ou através do bomdia@myplanet.pt.

Oliveira

Desde a antiguidade, a Oliveira (Olea europaea) e o azeite extraído do seu fruto, a azeitona, são vistos como sinónimo de força, esperança, paz e vida. São árvores de grande longevidade, podendo viver centenas de anos e chegar aos 10 metros de altura. Atualmente, Portugal é um dos principais produtores de azeite a nível mundial, contando com um dos maiores olivais do mundo. Cerca de 80% do nosso olival é de variedade Galega, conhecida por dar origem a azeite de excelente qualidade. Nas Mouriscas, em Abrantes, existe uma destas Oliveiras com 3500 anos, que ainda produz azeitona.

A Oliveira é frequentemente utilizada para a Arte da Topiária, que consiste em podar as árvores em formas ornamentais, e o seu crescimento lento torna a espécie indicada para Bonsais. O simbolismo da Oliveira tem também sido associado à Igreja Católica, com especial relevo para a semana Santa, quando, na cerimónia, conhecida por Domingo de Ramos, são abençoados pequenos raminhos, entre os quais os de Oliveira, que devem ser guardados em casa até à Páscoa seguinte como sinal de felicidade, paz e rejuvenescimento.

Carvalho

Os Carvalhos, designados cientificamente por Quercus, são belas árvores nobres e de vida longa, chegando a atingir mais de 1400 anos. Pelo mundo existem mais de 400 espécies do género Quercus  características muito distintas, dependendo das condições climáticas de cada zona.

O Carvalho Português ou Carvalho Cerquinho tem folhagem marcescente, pelo que as folhas murcham no inverno e só caem na primavera, quando surge nova rebentação. as folhas são diferentes, tanto na forma, como no tamanho, podendo divergir de acordo com a localização da árvore (Hemisfério Norte ou Hemisfério Sul).

Um dos tipos de Carvalho mais famosos é o Sobreiro (Quercus suber), de onde se extrai a cortiça, produto extremamente importante em Portugal, que lidera mundialmente a produção. Além da cortiça, também os produtos relacionados com a bolota, o fruto do Carvalho, que se dissemina entre setembro e outubro, têm notado um crescimento notável, especialmente nas áreas da cosmética e alimentação.

Castanheiro

O Castanheiro (Castanea sativa) é uma árvore da família das Fagáceas e é uma espécie de grande longevidade, existindo exemplares milenares em Portugal. Pode atingir entre 20 a 30 metros de altura e tem uma copa grande. Nos primeiros anos de vida o seu crescimento é lento depois mais rápido, atingindo a altura máxima por volta dos 50 anos.

Já a frutificação acontece por volta dos 25 a 30 anos, se o exemplar estiver isolado e entre os 40 e 50 anos, se estiver num bosque ou mata. A floração do castanheiro acontece entre os meses de maio e junho e as folhas começam a cair no outono. Conhecida pela grande durabilidade e qualidade da sua madeira, esta espécie é bastante apreciada na carpintaria.

Um dos grandes mitos do Castanheiro prende-se com a castanha, que, ao contrário das crenças populares, não é o fruto desta árvore. De facto, a castanha é uma semente que surge no interior do ouriço – este sim, o fruto do castanheiro –, que amadurece, entre setembro e novembro. Além de serem um ingrediente típico da culinária nacional, as castanhas têm ainda inúmeros benefícios para a saúde.

Veja o vídeo e descubra como preparar castanhas na perfeição. 

Eucalipto

O eucalipto-comum (Eucalyptus globulus) é uma espécie habitual na Península Ibérica e é muito utilizado para produzir pasta de celulose, usada no fabrico de papel. O seu tronco é direito e apresenta ramificações na parte terminal. A casca, que se solta do tronco, denomina-se ritidoma e é composta por células mortas que se vão soltando espontaneamente, libertando tiras longas.

Dentro do fruto do eucalipto existem sementes minúsculas e, quando o fruto amadurece, as valvas do topo abrem-se e as sementes disseminam-se. As florestas plantadas de eucaliptos providenciam novos habitats e criam condições favoráveis para o abrigo, alimentação e reprodução de várias espécies (como é o caso da águia de Bonelli, uma espécie considerada “em perigo”).

Os eucaliptos podem manter as nossas vias respiratórias mais limpas e são também um forte antisséptico. Das folhas são ainda extraídos os óleos essenciais, que são usados na perfumaria, para fazer sabonetes e detergentes e na indústria farmacêutica.